15814472845e42f8742665e_1581447284_3x2_rt
Ciclofaixa de lazer (Foto: Moacyr Lopes Junior/Folhapress)

As ciclofaixas de lazer são faixas reservadas para ciclistas de forma temporária e, para isso, há o uso de sinalização específica sempre acompanhada dispositivos auxiliares, tais como cone, cavalete e balizadores, de forma a sinalizar e garantir a segurança. Em São Paulo, esse tipo de estrutura é montado aos domingos em ruas e avenidas já pré-determinados.

Em meados de 2019, por conta da falta de patrocínio, a prefeitura suspendeu o serviço e, desde então, vem buscando um novo parceiro para retomar as faixas ciclísticas.

Após uma longa espera, anteontem, dia 10 de junho de 2020, a gestão Bruno Covas (PSDB) assinou um Termo de Cooperação com a empresa Uber para a operação da Ciclofaixa de Lazer na cidade aos domingos e feriados.

Segundo nota da prefeitura de São Paulo, a Uber, com o direcionamento da Prefeitura, vai operar os 117 quilômetros da Ciclofaixa de Lazer por 12 meses, que poderão ser renovados, sem custos para o poder público. Serão mantidos os circuitos que já eram realizados. E todas as condições de segurança exigidas pela Prefeitura para os ciclistas serão cumpridas pela Uber, além de medidas de proteção e higiene para a equipe de operação.

“A Uber vai investir R$ 11,5 milhões para cuidar das ciclofaixas”, informou o prefeito Bruno Covas. “A área da Saúde já deu o okay. Não há problema nenhum por causa da pandemia e essas ciclofaixas, que estavam desativadas desde o ano passado voltam a operar por conta dessa parceria que a Prefeitura assinou com a Uber”, disse Covas. Segundo o prefeito, as bicicletas são muito importantes para a cidade, não só por causa dessa parceria, mas pelo plano cicloviário que prevê a requalificação de 310 quilômetros de ciclovias e a criação de mais 100 quilômetros até o final deste ano.

A proposta da empresa foi aberta em sessão pública no dia 17 de fevereiro e passou por análise técnica da Secretaria de Mobilidade e Transportes e da Comissão de Proteção à Paisagem Urbana (CPPU).

A primeira montagem da Ciclofaixa de Lazer pela Uber está prevista para o dia 19 de julho e se somará aos esforços da Prefeitura para oferecer condições seguras tanto de mobilidade quanto de lazer nesse momento de abertura gradual das atividades da cidade. A data poderá ser revista caso haja necessidade de readequação do plano de abertura da cidade.

“A bicicleta é o modal mais seguro para evitar a disseminação da Covid-19. A Organização Mundial da Saúde recomenda que, sempre que possível, nos deslocamentos mais curtos, a população deve privilegiar caminhadas e deslocamento por bicicleta. A Prefeitura de São Paulo está oferecendo com apoio da Uber a volta da ciclofaixa de lazer, que é um importante e seguro circuito para a população”, afirma Edson Caram, secretário municipal de Mobilidade e Transportes.

“Após o período de isolamento necessário, acreditamos que a ciclofaixa terá um papel-chave na recuperação de São Paulo. A expectativa da Uber é a de que a ciclofaixa possa ir além do papel que tinha até então e se transforme na porta de entrada do paulistano para novas formas de mobilidade e sirva de estímulo para as pessoas mudarem hábitos, ajudando a reduzir o congestionamento e a poluição, que são duas peças do cotidiano que ninguém sente saudade”, afirma Claudia Woods, diretora geral da Uber no Brasil.

Para o Plamurb, já não era sem tempo o retorno dessas faixas. Nada melhor do que ter mais espaços seguros para bicicletas, ainda mais se considerarmos essa situação caótica na qual estamos vivendo por conta da pandemia

Vale lembrar, porém, que diferente do que o secretário afirmou, embora importante, as ciclofaixas de lazer acabam por contribuir menos do que poderiam, uma vez que o funcionamento ocorre apenas aos domingos e feriados.

Pensando nisso, fica a nossa sugestão: seria o momento perfeito de pensar em ampliar essas faixas por mais ruas da cidade, justamente para fomentar seu uso no deslocamento diário, evitando as perigosas aglomerações no transporte público por conta da pandemia.

É claro que o termo assinado prevê, neste momento, apenas a operação das rotas já existentes e pré-estabelecidas, mas nada impede que se faça um aditamento. Aliás, sabemos que a urgência da prefeitura era retomar as ciclofaixas o quanto antes, mas talvez, por conta dessa demora e já estando no meio da pandemia, seria interessante pensar maior.

Por que não implementar ciclofaixas temporárias em ruas e avenidas onde a estrutura fixa não existe, mas, por outro lado, há um grande número de ciclistas? Mais do que isso, aproveitar vias onde há um costumeiro deslocamento de pessoas por meio de transporte público, dando mais uma alternativa, preservando a saúde e respeitando o distanciamento social.

Na Colômbia e em outros países europeus essas ciclofaixas temporárias foram implantadas, justamente para evitar as aglomerações dentro dos ônibus ou trens. Aqui no Brasil elas poderiam até funcionar no mesmo modelo das faixas exclusivas, ou seja, apenas em parte do dia (horários de pico, por exemplo).

Seria até uma forma de, digamos, reservar um espaço futuro, pensando em tornar uma ciclofaixa temporária em permanente. Dessa forma, os motoristas de carros ou comerciantes já se acostumariam com a nova realidade: menos espaços para veículos comuns e mais espaços para o transporte coletivo, bicicletas e pedestres, neste caso por meio de calçadas mais largas.

Enfim, fica aqui a sugestão, mas sem dúvida alguma, só o retorno dessas ciclofaixas de lazer já é um bom motivo para se comemorar.

A seguir, veja os trechos contemplados com a Ciclofaixa de Lazer:

PAULISTA / CENTRO / JABAQUARA / PQ. IBIRAPUERA

1) Trecho Paulista / Jabaquara – 18.852 metros
2) Trecho Paulista / Centro – 16.204 metros
3) Trecho Jabaquara / Pq. Ibirapuera – 10.252 metros

IBIRAPUERA / SUMARÉ / PQ. DO POVO / PQ. VILLA LOBOS / PQ. DO CHUVISCO

4) Trecho Pq. Ibirapuera / Sumaré – 8.542 metros
5) Trecho Pq. Ibirapuera / Pq. do Povo – 7.902 metros
6) Trecho Pq. do Povo / Pq. Villa Lobos – 15.018 metros
7) Trecho Pq. Do Chuvisco / Pq. do Povo – 13.488 metros

ZONA NORTE

8) Trecho Zona Norte – 8.316 metros

ZONA LESTE

9) Trecho Zona Leste – 19.104 metros

Distância total de todos os trechos: 117.678 metros