8f64876e2a815f75a2a8f654d6e6868b (800x450)
Estação Nova Manchester (Foto: Fernandes Arquitetos Associados)

De tempos em tempos o governo estadual, por meio de suas duas empresas de transporte sobre trilhos, a Companhia do Metropolitano de São Paulo (Metrô) e a Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), atualiza a rede futura de linhas, mostrando quais projetos e quais os traçados que poderão sair do papel.

Nesse sentido cria-se uma grande expectativa, sobretudo para saber se determinada região está nos planos de uma eventual nova linha, ainda mais sabendo que uma nova linha sobre trilhos valoriza a região e ajuda a reduzir o trânsito e o tempo de deslocamento.

Em que pese a vagareza, o entusiasmo é sempre constante, e a cada nova atualização da rede, fica o otimismo concomitante ao pessimismo.

Na semana passada, em seu relatório anual, o Metrô divulgou o balanço do ano de 2019 e, entre uns dados e outros, estava presente um mapa, mostrando as prováveis linhas futuras. O Plamurb chegou a publicar um artigo falando exclusivamente da Linha 16-Violeta, que teve seu traçado completamente alterado. Agora, vamos falar de cada uma das linhas projetadas, descrevendo, de forma sucinta, seu traçado e algumas características. Acompanhem.

mapa total
Mapa divulgado pelo Metrô (Foto: Metrô-SP)

Linha 2-Verde

O prolongamento da Linha 2-Verde, de forma efetiva, já está quase saindo do papel. O primeiro trecho vai ligar a Vila Prudente até a Penha. Serão 8 novas estações em 8,3 km de extensão.

Após a Penha, haverá, ainda, mais 5 estações, chegando até Guarulhos, nas proximidades da Rodovia Presidente Dutra. Nesse caminho ela se integrará com as linhas 16-Violeta, 3-Vermelha, 11-Coral, 13-Jade e 19-Celeste.

O referido prolongamento dará uma nova dinâmica de deslocamento na zona leste, permitindo que o passageiro vindo de Itaquera, por exemplo, possa acessar a região da Vila Mariana ou Avenida Paulista a partir da transferência na Estação Penha, sem a necessidade de se deslocar até a região central da cidade. Haverá ganho de tempo e financeiro.

Linha 4-Amarela

Incrivelmente ainda em construção, após quase 10 anos de atrasos, a Linha 4-Amarela, a partir da Estação Vila Sônia (esta com previsão de inauguração em 2020), seguirá para o município de Taboão da Serra. Neste caminho, serão mais duas estações: Chácara do Jóquei e Taboão da Serra.

Com a inauguração de Vila Sônia e, posteriormente, do prolongamento para Taboão da Serra, a Linha-Amarela ganhará uma característica mais pendular, já que, finalmente penetrará em uma região mais periférica, fato pouco presente no atual momento, onde a maior parte do traçado está inserido dentro do centro expandido.

E para quem mora nessa região, além do município de Embu das Artes, que fica no eixo da Rodovia Régis Bittencourt, haverá ganho de tempo, principalmente pela não necessidade de usar a Avenida Francisco Morato, que vive sempre com trânsito pesado, mesmo que, por ventura, se trafegue de ônibus pelo corredor no mesmo local.

Linha 5-Lilás

Recém-concluída, a Linha 5-Lilás tem projetos de ampliação em suas duas pontas.

No sentido sul, a partir da Estação Capão Redondo, a linha seguirá para o Jardim Ângela e ganhará mais três estações: Comendador Sant’Anna, M’Boi Mirim e a própria Jardim Ângela. Tal prolongamento garantirá menos tempo de deslocamento, que hoje é feito essencialmente por ônibus.

Na outra ponta, a partir de Chácará Klabin, a linha ganhará mais três estações: Ricardo Jafet, Bom Pastor e Ipiranga, se integrando as com as linhas 10-Turquesa e 15-Prata. Essa extensão vai reduzir em uma baldeação quando se fala em transferir para a linha da CPTM.

Linha 6-Laranja

Primeira Parceria Público-Privada (PPP) integral, a linha universidades, está com obras paradas desde o ano de 2016. O governo estadual garante que em 2020 a construção será retomada. Mesmo que isso aconteça, a linha não fica pronta antes de 2025. Ela terá 15 estações distribuídas em 15,3 km de extensão. Fará integração com as linhas 7-Rubi, 8-Diamante, 4-Amarela e 1-Azul.

O Metrô revela, porém, que a linha terá um prolongamento no sentido norte. Serão mais quatro estações: Morro Grande, Velha Campinas, Vila Clarice e Bandeirantes, esta ficando ao lado da rodovia de mesmo nome.

Dependendo do destino da pessoa, ela poderá deixar seu veículo em um eventual estacionamento junto à estação homônima da rodovia e assim se utilizar da linha para chegar até a região oeste e central da cidade.

Linha 15-Prata

O conhecidíssimo monotrilho da Linha 15-Prata não possui nenhum projeto novo, sendo mostrado a conclusão das extensões já anunciadas.

No sentido leste, consta a chegada em Cidade Tiradentes e, no outro lado, mais uma estação, no caso Ipiranga, se integrando com as linhas 10-Turquesa e 5-Lilás.

Linha 16-Violeta

A mais nova linha apresentada à população, a Linha 16-Violeta, ligará a Estação Oscar Freire até a Estação Jardim Brasília, na zona leste de São Paulo. Possuirá 21 estações e se integrará com as linhas 4-Amarela, 2-Verde (duas vezes), 1-Azul e 10-Turquesa.

Vale ressaltar que, anteriormente, essa linha teria um traçado completamente diferente, conectando a Cachoeirinha ao bairro do Ipiranga. Com a alteração, o bairro periférico da zona norte deixará de ter uma estação de metrô. Leia mais em nosso artigo explicando essa situação com mais detalhes.

Linha 17-Ouro

O monotrilho da zona sul ainda está em construção e seu primeiro trecho ligará o Aeroporto de Congonhas até a Estação Morumbi da Linha 9-Esmeralda. Serão 6,7 km de extensão, 8 estações e 14 composições.

No mapa apresentado pelo Metrô consta o prolongamento para o Jabaquara, se integrando com a Linha 1-Azul. Nesse trecho serão mais 5 estações.

Agora um fato que nos deixou preocupados é a ausência do prolongamento do outro lado do Rio Pinheiros. Para quem não sabe, o projeto da linha era ir no sentido de Paraisópolis, chegando até a Estação São Paulo-Morumbi da Linha 4-Amarela.

Isso nos preocupa porque aquela região é a que mais necessita de um meio de transporte de média/alta capacidade e a Linha 17-Ouro iria suprir essa necessidade. Olhando pelo lado social, para nós, o trecho prioritário deveria ser esse e não o que está em plena construção.

Cabe à sociedade cobrar do governo estadual para que essa extensão não seja engavetada, pois representará um enorme prejuízo do ponto de vista social e da mobilidade urbana para os moradores daquela região.

Linha 18-Bronze

Sem comentários! A gestão do governador João Doria (PSDB) cometeu um dos maiores retrocessos dentro da mobilidade urbana, ao trocar o monotrilho da Linha 18-Bronze por um corredor de ônibus do tipo BRT. Tal atitude foi puramente política, embora sua equipe negue.

Até o momento nada de concreto sobre o referido BRT. Olhando no mapa, nem consta como projeto futuro, uma vez que sendo, agora, responsabilidade da Empresa Metropolitana de Transporte Urbano (EMTU), deveria haver tal indicação.

É um sinal preocupante, pois a substituição foi muito rápida e, até o presente momento, não foi apresentado um projeto mais detalhado do corredor, algo mais do que óbvio e necessário em uma gestão que deveria ser séria.

O Plamurb chegou a escrever alguns artigos repudiando tal atitude e você pode ver o principal deles clicando aqui.

Linha 19-Celeste

O projeto básico da Linha 19-Celeste está em fase de licitação. A nova linha da zona norte terá seu traçado no eixo da Vila Maria e Jardim Brasil, atendendo, também, a região central do município de Guarulhos, na região do Parque Bosque Maia.

A linha terá 17,6 km de extensão, 15 estações e uma demanda estimada de mais de 600 mil pessoas por dia. São previstas conexões com a Linha 3-Vermelha (Estação Anhangabaú), Linha 1-Azul (Estação São Bento), Linha 2-Verde (Estação Dutra) e com a CPTM na Linha 11-Coral (Estação Pari).

Como já escrevemos em outro artigo, a Linha 19-Celeste preencherá uma lacuna importante da zona norte, pois atenderá uma região que depende exclusivamente dos ônibus, que trafegam por vias relativamente estreitas e sem nenhum corredor exclusivo à esquerda.

Linha 20-Rosa

Anunciada como um dos prêmios de consolação pelo governo do estado no momento da troca de monotrilho por BRT na Linha 18-Bronze, a linha, em outro momento, foi apresentada como sendo uma ligação entre a Lapa e Moema, passando pelas regiões do Alto da Lapa, Alto de Pinheiros e Itaim BIbi.

Com a decisão em relação à Linha 18-Bronze, decidiu-se por prolonga-la até a região do ABC Paulista e, agora, fala-se em integrá-la com o a Estação Prefeito Saladino da Linha 10-Turquesa.

Serão 28 estações distribuídas em 27 km de extensão e uma demanda prevista de mais de 1 milhão de passageiros por dia.

Pode até ser cedo, mas o Plamurb enxerga como positivo o local para o término desta linha. A Estação Prefeito Saladino é ociosa, mesmo com um terminal rodoviário ao seu lado. Com a chegada da Linha 20-Rosa, a estação, inevitavelmente, deverá ser reconstruída, assim como ocorreu com Tamanduateí. Isso possibilitará mais opções de deslocamentos e viagens multimodais.

E sobre a reconstrução da Estação de Prefeito Saladino, esperamos que essa intervenção chegue muito antes da Linha 20, afinal, não se deve esperar uma nova linha e integração para que se ofereça as mínimas condições para o passageiro. E sabemos que a referida estação nem de longe é adequada a isso.

Sobre a linha em si, seu traçado perimetral possibilitará viagens mais rápidas e dinâmicas sob a ótica da mobilidade urbana, ou seja, será possível ir da Lapa até Santo André sem passar pelo centro e com intermináveis baldeações.

L20
Traçado da Linha 20-Rosa (Foto: Metrô-SP)

Arco Norte

Infelizmente o Arco Norte, que já foi chamado de Linha 23-Magenta, sequer aparece no mapa e não há menção alguma a ele no documento, o que é de se lamentar, pois mostra que ele está em um futuro muito distante. E essa linha seria essencial para a zona norte.

CPTM

Por ter sido um relatório produzido pelo Metrô, evidentemente que não citado nada em relação aos projetos futuros da CPTM, porém, no mapa apresentado, são mostrados alguns projetos futuros da estatal. Não são grandes novidades, apenas a efetivação de projetos amplamente divulgados.

Linha 7-Rubi

Consta apenas a unificação da Estação Lapa, a reconstrução da Estação Água Branca e a construção da nova Estação Pari, situação entre Luz e Brás. Fala-se em uma eventual Estação Bom Retiro, ainda sem maiores detalhes.

Linha 8-Diamante

Além da unificação as estações Lapa, a linha passará atender a Estação Água Branca também. E embora o mapa não mostre, haverá a reconstrução da Estação Ambuitá, localizada na extensão da linha para Amador Bueno.

Linha 9-Esmeralda

A linha que margeia o Rio Pinheiros ganhará três novas estações: João Dias, que será construída via regime de PPP, além de Mendes-Vila Natal e Varginha, extensão a partir de Grajaú e que está em fase de obras atualmente.

Linha 10-Turquesa

A linha ganhará uma nova estação denominada São Carlos (ou Parque da Mooca), localizada entre Mooca e Ipiranga. Além dela, está nos planos uma estação nas proximidades da antiga Parada Pirelli, que seria o ponto terminal de uma linha que cruzaria a zona leste verticalmente chegando a até Guarulhos. Tal linha, porém, não aparece no mapa.

Haverá, ainda a reconstrução de duas paradas, Ipiranga e Prefeito Saladino que esperamos que sejam efetivadas muito antes da chegada das novas linhas.

Linha 11-Coral

A linha mais carregada da CPTM chegará até a Barra Funda. Esse projeto, no entanto, não é recente. Com esse prolongamento, a Linha 3-Vermelha será desafogada, além de uma sensível queda de circulação na Estação Luz.

A linha também ganhará uma estação, a, já citada, Pari.

Linha 12-Safira

A Linha Safira ganhará duas estações novas, preenchendo aquela lacuna enorme entre Tatuapé e Engenheiro Goulart. A primeira será Tiquatira (ou Gabriela Mistral), nas proximidades de onde antes estava situada Engenheiro Trindade. Essa estação fará conexão com as linhas 13-Jade e 2-Verde. A outra estação será Cangaíba, também com integração com a Linha 13-Jade.

Embora não apareça no mapa, chegou a ser divulgado que haveria uma outra estação denominada União de Vila Nova, porém, nada mais foi dito. Ela ficaria entre Comendador Ermelino e São Miguel Paulista.

Linha 13-Jade

A caçula da CPTM será prolongada nas duas pontas. O prolongamento a partir da Estação Aeroporto-Guarulhos é amplamente conhecido. Serão mais quatro estações: Jardim dos Eucaliptos, São João, Jardim Presidente Dutra e Bonsucesso, atendendo uma região bem carente.

Na outra ponta a linha seguirá até Tiquatira (ou Gabriela Mistral), passando por Cangaíba também. Haverá integrações com as linhas 12-Safira e 2-Verde.

Vale ressaltar que o projeto da linha é leva-la até a região de Parque da Mooca ou Chácara Klabin. Porém, observando o traçado do mapa, nota-se que o tramo leste da Linha 16-Violeta passará quase que pelo mesmo local, então essa extensão da Linha 13-Jade é incerta.

L13
Prolongamento da Linha 13-Jade (Foto: Metrô-SP)

Muito embora o Metrô tenha divulgado esse mapa, não há prazo algum para essas linhas saírem do papel, exceto aquelas que estão em estado avançado, seja de construção ou projeto executivo.

E muito provavelmente, com novos estudos, algumas dessas linhas terão o traçado ou a prioridade de construção alterados, fato comum e corriqueiro em uma cidade com uma dinâmica sempre em mutação.