SAMSUNG CAMERA PICTURES
Veículo da linha 390E/10 no Terminal Parque Dom Pedro II (Foto: Thiago Silva)

Como muitos devem estar acompanhando, o novo Edital do sistema de transporte de São Paulo foi lançado no final do ano passado e está em fase de consulta pública até fevereiro deste ano. Fizemos uma breve análise (faremos outra mais completa posteriormente) e entre as novidades, temos a volta da operação com trólebus na linha que liga o Terminal Penha ao Terminal Parque Dom Pedro II. A linha em questão é a 390E/10, atualmente operada com veículos a diesel e pela empresa Expandir Transporte Urbanos LTDA. É muito provável que com essa mudança de tecnologia, a linha passe a ser operada pela empresa Ambiental Transportes, a única da cidade a possuir trólebus em sua frota. Vale lembrar que em 2015, quando o Edital foi lançado ainda na gestão de Fernando Haddad (PT), não era previsto a operação com trólebus nesta linha, porém, durante a consulta pública, foi sugerido por alguns grupos e movimentos que atuam na preservação do sistema, entre eles, o Movimento Respira São Paulo e o Defesa do Trólebus e, felizmente, acatado por parte da São Paulo Transporte (SPTrans). E agora, no relançamento do Edital, mantiveram a operação com os ônibus elétricos na linha.

Aliás, do nosso ponto de vista, não faria o menor sentido essa linha não operar com trólebus. O trajeto dela é 100% provido de rede aérea. Ou, melhor dizendo, 99% do trajeto, já que no trecho da Avenida Celso Garcia, entre as ruas Cesário Galeno Galero e Antônio de Barros não há rede. Nesse trecho de, aproximadamente, uns 100 metros, ocorreu um acidente há alguns anos e a rede aérea foi danificada. Como no local não passa nenhuma linha de trólebus, o trecho não foi reposto, permanecendo assim até os dias atuais. Entretanto, o serviço de restauro é rápido e está dentro do contrato de manutenção da rede elétrica.

Outro detalhe interessante é que esta linha operou com trólebus até 2003, só que com outra numeração: 2340/10. Além dela, outra linha passava pelo local, no caso a linha 702P/10 – Pinheiros / Terminal Penha. Teve uma outra que operou por um tempo curto e que também passava pelo local: 2350/10 – Terminal Aricanduva / Terminal Parque Dom Pedro II.

O Terminal Penha foi inaugurado tardiamente em 1996, porém era para ter sido implantado dentro do Plano Sistran que previa a expansão do sistema trólebus na cidade. Nessa época, algumas linhas novas foram inauguradas, como a da Vila Prudente, Vila Carrão, Vila Formosa, Metrô Santa Cruz e Santo Amaro. Apenas a 1ª e parte da 2ª etapa foram concluídas.

No início, a linha 2340/10 era denominada Terminal Penha / Praça Clóvis. Posteriormente mudou para o Parque Dom Pedro II. Com a inauguração do Terminal Parque Dom Pedro II em 1996, foi remanejada de vez para lá. Após a privatização da operação da Companhia Municipal de Transporte Coletivo (CMTC), a linha foi transferida para a empresa Eletrobus que conduziu muito bem a sua operação.

ne2015-08-0211
Trólebus da CMTC operando na linha 2340 (Foto: Marco A. Goldani)

Já em 2002, as empresas de trólebus de São Paulo deixaram de operar e outras assumiram seus lugares. Sendo assim, houve um repasse de linhas entre as novas empresas. A linha 2340/10, foi repassada para a garagem do Brás, a cargo da empresa Expandir, que ficou no lugar da Transbraçal. Entretanto, no final de 2003, os trólebus da garagem do Brás foram completamente desativados e as linhas passaram a operar com veículos a diesel, mesmo todo o trajeto entre a Penha e o Parque Dom Pedro II possuir rede aérea.

Atualmente, a linha 390E/10 tem uma demanda média de 6500 passageiros por dia e nos horários de pico, o intervalo varia de 6 a 10 minutos.

SAM_2074 (640x427).jpg
Placa lateral com o itinerário da linha (Foto: Thiago Silva)

Nós da Plamurb não escondemos que somos favoráveis ao sistema trólebus. O retorno da operação da linha 390E/10 é de grande importância, pois amplia a frota desse tipo de veículo na cidade, além de utilização de uma rede que está há alguns anos ociosa, já que a capacidade para operação de trólebus é muito maior. E futuramente, com os prováveis seccionamentos de linhas vindas da zona leste, a 390E/10 será muito utilizada e sua demanda será maior. Também servirá para tirar, de vez, o rótulo de que as linhas trólebus são obsoletas, antiquadas e que não acompanharam o desenvolvimento da cidade, argumento muito utilizado quando as linhas da zona norte foram desativadas.

A seguir, uma imagem extraída do Edital que mostra que a linha 390E/10 irá operar com trólebus. A linha fará parte do lote AR0 e possuirá 14 veículos na frota.

penha
Em destaque, a confirmação de que a linha será operada por trólebus (Foto: Thiago Silva)